quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Polônia quer que 'Toca do lobo' de Hitler seja atração turística

O Governo polonês quer transformar em atração turística a 'Toca do lobo', o refúgio subterrâneo que serviu de quartel-general a Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial e no qual em 1944 um grupo de oficiais alemães tentaram assassiná-lo na chamada 'operação Valkiria'.

A 'Wolfsschanze' (Toca do lobo) fica perto da cidade de Ketrzyn, na antiga Prússia e hoje nordeste da Polônia, uma região de densas florestas onde o Führer comandou suas tropas durante boa parte da guerra.

Esse mesmo cenário foi escolhido pelo coronel Claus von Stauffenberg e seus cúmplices para tentar matar Hitler, um assassinato fracassado relatado no filme 'Operação Valkiria', onde Tom Cruise interpretava o próprio oficial.

A Polônia é a proprietária das instalações, que agora pretende revitalizar para atrair um maior número de turistas, informou nesta quinta-feira a rádio pública local, que lembrou que a cada ano milhares de pessoas visitam a 'Toca do lobo' apesar de seu precário estado e do difícil acesso.

Para por fim ao abandono, as autoridades polonesas oferecem agora em arrendamento os 13 hectares do refúgio, que podem ser alugados pelo preço mínimo de 108 mil euros anuais.

Os interessados, que podem apresentar sua oferta até o fim deste mês, devem considerar que as instalações estão em ruínas e precisam ser reformadas.

As autoridades polonesas esperam que o possível investidor privado também construa um museu com uma exposição permanente, além de um restaurante e um hotel.

A 'Toca do lobo' foi construída em 1941, depois de a Alemanha ter invadido a antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), como posto avançado para dirigir os passos iniciais dessa operação.

Durante a disputa, o local chegou a contar com 80 prédios, cuidadosamente escondidos na floresta, demolidos em sua maioria após a ocupação dos soviéticos em 1945. 

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Brasil inaugura primeiro módulo científico no interior da Antártica

Cientistas brasileiros inauguraram o primeiro módulo do país no interior da Antártica, o Criosfera 1, na última quinta-feira. Após quase um mês no continente gelado – o grupo chegou na Antártica em 17 de dezembro de 2011 –, enfrentando sensações térmicas de até 42°C negativos, o trabalho de instalação de todos os equipamentos internos e externos do módulo foi concluído com sucesso.

O Criosfera 1 será o primeiro do tipo instalado no interior antártico a funcionar 24 horas por dia, sem a necessidade de acompanhamento humano em suas operações. Também é sustentável, pois possui painéis solares e geradores eólicos em vez de utilizar combustível fóssil para seu funcionamento. As primeiras transmissões de dados meteorológicos, em fase de teste, foram enviadas via satélite na última semana para o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).


O módulo tem 6,30 m de comprimento, 2,60 m de largura e 2,5 m de altura e pesa 3,5 toneladas. Ele fica a 1,5 m do solo para evitar o acúmulo de neve ao redor e permitir a passagem do vento. Com o envio diário por satélite dos dados meteorológicos coletados, a intenção é obter análise sobre os reflexos dos poluentes gerados na América do Sul e outras partes do mundo no continente antártico.

"Mein Kampf", de Hitler, volta às bancas da Alemanha

O livro de Adolf Hitler "Mein Kampf" (Minha Luta), banido das livrarias alemãs, em breve estará disponível em bancas de jornal. Um editor britânico disse que publicará trechos do texto na Alemanha.

O Estado da Bavária, porém, que detém os direitos autorais da visão nazista sobre a supremacia racial ariana, disse que considera a possibilidade de entrar na Justiça para bloquear a publicação.


A republicação da autobiografia do ditador nazista, que expõe sua ambição de tomar vastas áreas de terra no leste da Europa para proporcionar espaço para a chamada raça superior, está proibida na Alemanha, a não ser para estudo acadêmico.


O primeiro dos três trechos de 16 páginas do livro, acompanhado por um comentário crítico, será publicado neste mês com uma tiragem de 100 mil cópias, disse à Reuters Peter McGee, chefe da editora Albertas Ltd, com sede em Londres.


"É um assunto delicado na Alemanha, mas o incrível é que a maioria dos alemães não tem acesso ao 'Mein Kampf' porque há um tabu, essa 'magia negra' que o cerca", afirmou ele.


"Queremos que o 'Mein Kampf' seja acessível para que as pessoas o vejam pelo que ele é, e depois o descartem. Uma vez exposto, ele pode retornar à lata de lixo da literatura", disse ele.


Os excertos serão distribuídos como um suplemento de uma publicação semanal da empresa, uma polêmica série chamada "Zeitungszeugen" ou "Testemunha do Jornal", que republica páginas dos jornais nazistas datados dos anos 1920 e 1930, com um comentário.

A mais recente edição da série, lançada na semana passada, vendeu até agora 250 mil exemplares, de acordo com McGee.

A secretaria de Finanças do Estado bávaro no sul da Alemanha, porém, que detém os direitos autorais, disse nesta segunda-feira que o suplemento da revista fere a lei dos direitos autorais.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Objetos do Titanic valem US$ 189 mil.

A maior coleção de objetos retirados do Titanic será vendida num só lote em um leilão a ser realizado em abril por ocasião do centenário do naufrágio. 

Objetos do Titanic serão leiloados em abril em NY
Os 5.500 itens foram avaliados em US$ 189 milhões em 2007. Eles foram resgatados em sete expedições ao fundo do Atlântico Norte, entre 1987 e 2004, segundo protocolo apresentado à Comissão de Títulos e Câmbio dos EUA (SEC, sigla em inglês).
O vendedor é a empresa que detém os direitos de resgatar objetos no Titanic, a Premier Exhibitions, do ramo museológico, por intermédio da sua subsidiária RMS Titanic. Os objetos, que não foram identificados no protocolo, serão postos à venda pela casa de leilões Guernsey's, de Nova York. 

Vários outros eventos estão previstos para o centenário do naufrágio, em 10 de abril. O transatlântico afundou após bater em um iceberg na sua viagem inaugural, matando 1.517 pessoas. O épico hollywoodiano Titanic, segunda maior bilheteria da história, será relançado em 3D no começo de abril.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Padre salvou Hitler da morte e mudou rumo da História

Em Janeiro de 1894, enquanto brincava junto ao rio Inn, em Passau, Alemanha, uma criança de quatro anos caiu à água. Só não morreu afogado porque "um camarada determinado", uma criança com praticamente a mesma idade, mergulhou e salvou o amigo.

A história foi publicada no 'Donauzeitung' - jornal do Danúbio - dessa altura e os
Johann Kuehberger

historiadores acreditam que a criança que quase morreu era Adolf Hitler. O miúdo que o salvou era Johann Kuehberger, que acabou por se tornar padre. Os acontecimentos já tinham sido relatados por Max Tremmel, amigo e sucessor de Kuehberger, antes da sua morte, em 1980. O exemplar do jornal que agora foi descoberto dá ainda mais força à história.

O episódio também surge nas páginas do livro 'Fora de Passau - Deixando a cidade a que Hitler chamava casa', de Anna Elisabeth Rosmus.

"As margens do rio Inn eram um cenário idílico para as crianças brincarem. Em 1984, enquanto jogava à apanhada com um grupo de crianças, Adolf caiu à água. A corrente era muito forte e a água gelada, vinda directamente das montanhas. Felizmente para o jovem Adolf, o filho do dono da casa onde ele vivia conseguiu puxá-lo a tempo e salvar-lhe a vida", escreve a autora.

Na juventude, e mais tarde rodeado pelos seus generais, Hitler costumava contar histórias de como brincava aos índios e cowboys junto ao rio mas nunca mencionou o episódio do afogamento.

No entanto, de acordo com Anna Elisabeth Rosmus, "em Passau toda a gente conhecia a história. Dizia-se até que ele nunca aprendeu a nadar".

Ainda este mês, a Radio Bavaria vai transmitir um programa sobre o incidente chamado 'Se Hitler se tivesse afogado. A lenda de um salvamento fatal', no qual vários habitantes de Passau confirmam a história. De acordo com os historiadores, o mais provável é que o Führer tenha 'apagado' propositadamente este acontecimento da sua vida.

Nos anos de guerra existe registro de que o menino que salvou Hitler e se tornou padre morreu em um campo de concentração nazista.

Rio Inn, em Passau.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Oficial nazista é preso aos 90 anos

O ex-oficial das forças nazistas SS Heinrich Boere, 90 anos, foi preso nesta quinta-feira, ao final dos recursos contra sua condenação à prisão perpétua, imposta há um ano pelo assassinato de três sobreviventes do nazismo na Holanda.

O condenado ingressou no hospital penitenciário de uma prisão da Renânia do Norte-Vestfália, no oeste da Alemanha, informaram nesta quinta-feira fontes da procuradoria de Aachen.



Boere, que na década de 1950 foi condenado à morte à revelia na Holanda e viveu durante décadas sem problemas na Alemanha, residia em um asilo de idosos em Aachen, desde que recebeu sua sentença em março de 2010.
Uma equipe de legistas decidiu que ele está em condições de cumprir a pena, mesmo sofrendo de doenças cardíacas, por isso foi finalmente transferido para a prisão.

A sentença na Alemanha foi o fim de um longo processo contra este ex-integrante das SS, confesso executor de membros da resistência, e chega com 64 anos de atraso em relação a essas mortes e 61 anos em relação à primeira condenação na Holanda.

Boere ouviu de cadeira de rodas a leitura da sentença, pela qual se declarava provado que ele, um dos 15 membros do comando Feldmeijer, criado para eliminar os membros da resistência, executou três civis em 1944.
O réu tinha então 22 anos e havia ingressado nas SS com 18 anos, por "puro fanatismo e convicção", de acordo com suas declarações.

A tarefa do Feldmeijer era buscar em suas casas e assassinar suspeitos de pertencer à resistência. Sua forma de atuação consistia em bater na porta das casas, conferir a identidade dos procurados e matá-los a tiros.
O processo diz respeito a três, das cerca de 50 execuções que Boere cometeu, as quais três filhos de duas de suas vítimas participaram como parte da acusação particular.

Nascido em 1921 em Eschweiler (a 100 quilômetros da fronteira com a Holanda), Boere foi preso pelos aliados antes do fim da Segunda Guerra Mundial e já nesses interrogatórios confessou ser o autor dessas mortes.
Em 1947, fugiu do campo de prisioneiros e permaneceu sete anos escondido na Holanda, coincidindo com o julgamento em que foi condenado à morte - pena depois substituída pela prisão perpétua.
Após anos na clandestinidade, voltou à Alemanha, e a partir de 1945 viveu tranquilamente em sua cidade natal, sem esconder que tinha participado das SS.

Em 2000, o Escritório Central sobre os Crimes do Nazismo abriu uma investigação contra Boere, e as acusações foram lidas no mesmo asilo onde residia até hoje.

Em 2009, foi aberto outro processo em Aachen, paralelamente ao ocorrido em Munique contra o ucraniano John Demjanjuk, extraditado dos Estados Unidos em maio desse ano após esgotarem todos os recursos judiciais.
O julgamento de Demjanjuk terminou no início deste ano com a condenação a cinco anos de prisão pelas mortes de 28 mil judeus no campo de concentração de Sobibor, na Polônia.

Assim como Demjanjuk, Boere ouviu a sentença em cadeira de rodas, mas foi liberado logo em seguida pela idade avançada.
O caça-nazistas Efraim Zuroff, do Centro Simon Wiesenthal de Jerusalém, lançou nesta quarta-feira em Berlim a chamada "Operação Última Chance 2", após denunciar que, segundo suas estimativas, centenas destes criminosos continuam livres.

Zuroff disse que entre abril de 2010 e março de 2011, foram abertos no mundo todo 584 processos contra criminosos nazistas. Na lista dos mais procurados está Alois Brunner, estreito colaborador de Adolf Eichmann, assim como o médico nazista Aribert Heim, conhecido como "Dr. Morte".

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Mergulhadores acham avião da 2ª Guerra Mundial

Mergulhadores encontraram um avião da Segunda Guerra Mundial quase intacto na costa da Flórida. O especialista Kevin Knebel acredita que a aeronave seja um modelo Curtiss Helldiver SB2C, que foi usado pelos EUA no conflito. 

Se for verdade, Knebel destacou que seria o primeiro Helldiver a ser encontrado na costa so estado, segundo a emissora de TV "NBC". As informações são do G1.


Bombardeiro estava quase intacto. Aeronave seria um modelo Curtiss Helldiver SB2C.


Prédio icônico nazista é demolido em Berlim

O Deutschlandhalle de Berlim, o pavilhão multiuso construído em 1935 por Adolf Hitler e palco de apresentações de Rolling Stones e Queen, começou a ser demolido a partir da implosão do teto do prédio no final de semana. 

A detonação ocorreu após a montagem de um cordão de isolamento de 200 metros ao redor do recinto. As paredes do local devem ser derrubadas separadamente. 

Curiosos acompanharam à distância a implosão, que gerou uma grande nuvem de pó.  Depois dessa primeira etapa serão demolidas nas próximas semanas as paredes das 26 naves que formam o complexo, à época construído para ser o maior centro de eventos do mundo. 

O Deutschlandhalle abrigou feiras e congressos, lutas de boxe --incluindo uma de Mohammed Ali-- e shows de bandas como AC/DC, The Who e Jimi Hendrix.
As autoridades de Berlim pretendem erguer no local um novo centro de congressos, orçado em 65 milhões de euros, que deve ficar pronto em 2013.
Em 2014 será o vizinho Centro Internacional de Congressos (ICC) que passará por reformas. Esse outro prédio é dos anos 70. 

A implosão do Deutschlandhalle causou polêmica por moradores que consideravam o prédio como parte da memória do país.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Taubaté na mira de Hitler

Há 70 anos, Taubaté estava na mira de Hitler. Sob as ordens do führer   Adolf Hitler, no dia 22 de março de 1941, aviões nazistas rasgaram o céu  sobre o Mar Mediterrâneo  e, de forma indireta, cruzaram  a história da cidade do Vale do Paraíba. A embarcação ‘Taubaté’, que seguia para Alexandria, no Egito, transportando vinho, lã e batatas, foi atacada por aeronaves da Luftwaffe, com bombas e rajadas de metralhadora.

Europa  em guerra. Hitler havia estendido a mão obscura do nazismo sobre o mapa do continente. O Brasil, até então, se mantinha neutro. Perto à costa  do Egito,  aviões do führer enviam um sinal hostil. Segundos depois  o ataque é iniciado.

   O episódio representou o primeiro ataque nazista ao Brasil na 2ª  Guerra Mundial -- e também a primeira morte brasileira no sangrento conflito. O ataque foi perpetrado mais de um ano antes de   Getúlio Vargas   declarar guerra às forças do Eixo --no dia 19 de agosto de 1942).

No total, entre  1941 e 44, mais de mil brasileiros morreram vítimas de ataques feitos por alemães contra embarcações. Foram   35 navios da Marinha Mercante brasileira atacados pelos nazistas (principalmente pelos mortais submarinos de Hitler), 33 afundaram.

Os anos passaram e a história do primeiro ataque ainda é motivo de curiosidade em Taubaté. O professor de história João Alberto Fonseca Júnior, especializado em 2ª Guerra Mundial  conta que o motivo do navio ser chamado Taubaté é um mistério. “Sabemos que a maioria dos militares que foram para a 2ª Guerra Mundial são da região, principalmente de Caçapava. 

O Brasil não tinha uma posição definida, era pendular. Quando interessava, ascendia vela para os alemães, outra hora, estava do lado dos EUA”, afirmou o historiador.

O comandante da embarcação, Mário Fonseca Tinoco, relatou à época que o navio ostentava nitidamente a bandeira brasileira, pintada dos  dois lados do casco,  e mesmo assim, o ataque não cessou.

Ele ordenou então o içamento de uma bandeira branca (uma representação de paz, neutralizade) no mastro principal.

O comandante e os oficiais do vapor disseram ao consulado brasileiro em Alexandria que a aeronave trazia as insígnias da força aérea alemã. O navio não afundou. No ataque, morreu  o conferente José Francisco Fraga -- morto no passadiço, vítima de uma rajada de metralhadora, que também feriu 13 tripulantes. Taubaté  e o Brasil estavam na mira de Hitler.

Postagens mais acessadas