terça-feira, 11 de junho de 2013

Antigo retiro de Hitler passará por reforma de R$ 48 milhões

O antigo retiro de Adolf Hitler nas montanhas da região alemã da Bavária vai ganhar uma reforma orçada em 17 milhões de euros (cerca de R$ 48 milhões) em um projeto de renovação do centro de informação histórico que ocupa o local atualmente, informa a agência AP. O governo regional diz que a construção deve começar em 2015 . 
A antiga casa de Hitler na montanha (Berghof), que atualmente abriga um centro histórico, passará por renovação.
O jornal alemão Sueddeutsche Zeitung informa que o centro será expandido da sua atual área de 1 mil m² para 2,5 mil m² até 2018. O local inclui detalhes sobre Obersalzberg - vilarejo montanhoso em que Hitler mantinha o seu retiro conhecido como Ninho da Águia e sua chamada de Berghof - e o regime nazista em geral. 
O vilarejo era considerado um segundo centro de poder nazista após Berlim. Diversos outros oficiais do regime, como Herman Goering, Albert Speer e Martin Bormann também mantinha casas lá. 

Fonte:terra.com.br

Encontrado diário perdido de líder nazista e assessor de Hitler

Alfred Rosenberg, confidente de Adolf Hitler, desempenhou um papel central no extermínio de milhões de judeus durante a 2ª Guerra Mundial.


O governo norte-americano recuperou 400 páginas do diário desaparecido de Alfred Rosenberg, confidente de Adolf Hitler que desempenhou um papel central no extermínio de milhões de judeus e outros durante a Segunda Guerra Mundial.
Alfred Rosenberg, confidente de Adolf Hitler
Uma avaliação preliminar do governo americano examinada pela agência Reuters garante que o diário pode oferecer uma nova visão sobre os encontros de Rosenberg com Hitler e com outros líderes nazistas, incluindo Heinrich Himmler e Herman Göring. Também inclui detalhes sobre a ocupação alemã da União Soviética, incluindo planos de assassinato em massa de judeus e outros europeus do Leste.
"A documentação é de importância considerável para o estudo da época nazista, inclusive para a história do Holocausto", segundo a avaliação preparada pelo Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos, em Washington.
"Uma análise apressada do conteúdo indica que o material lança nova luz sobre várias questões importantes relacionadas à política do Terceiro Reich. O diário será uma fonte importante de informação a historiadores que complementa, e em parte contradiz, documentação já conhecida."
De que forma os escritos de Rosenberg, um ministro do Reich nazista que foi condenado em Nuremberg e enforcado em 1946, poderiam contradizer o que os historiadores acreditam ser verdade não está claro. Mais detalhes sobre o conteúdo do diário não estavam disponíveis, e uma autoridade do governo norte-americano insistiu que a análise do museu continua preliminar.
Mas o diário inclui detalhes sobre as tensões dentro do alto-comando alemão, em particular a crise provocada pelo voo de Rudolf Hess para a Grã-Bretanha em 1941, e o saque de obras de arte em toda a Europa, segundo a análise preliminar.
Fonte: terra.com.br

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Bild publica fotos inéditas do bunker de Hitler

bunker onde Hitler se suicidou com a sua amante Eva Braun é hoje em dia considerado património arquitectónico nacional.
O jornal alemão Bild publica, na sua edição desta sexta-feira, fotos inéditas dos restos do bunker de Adolf Hitler em Berlim, captadas por um fotógrafo na extinta República Democrática Alemã (RDA), em 1987.
As imagens, qualificadas como documento histórico pelo jornal alemão, mostram as ruínas do bunker, décadas depois do suicídio do Führer, a 30 de Abril de 1945, e foram feitas por um aprendiz de motorista de autocarro, Robert Conrad, que na altura era também fotógrafo amador. Robert Conrad é hoje um fotógrafo especializado em arquitetura  trabalhando em toda a Alemanha.
No recinto chegaram a viver 700 pessoas.
De acordo com Conrad, que agora tem 50 anos, ele infiltrou-se nas ruínas disfarçado de trabalhador da construção e captou assim as imagens secretas. Os restos do bunker estavam no sector leste da capital, na Alemanha oriental, perto da fronteira com o lado ocidental.
Conrad entrou aproveitando umas obras de construção que estavam a ser realizadas na mesma área e captou as imagens com uma pequena câmara fotográfica com uma lente de 35 milímetros. “Foi a última e única oportunidade de documentar esse lugar”, disse Conrad ao Bild, já que imediatamente depois iriam iniciar as obras de construção de vivendas e os acessos ao bunker seriam soterrados. Segundo explicou, voltou ao lugar cerca de 30 vezes, apesar do perigo de ser descoberto.
O fotógrafo afirmou estar seguro de ter descoberto também o lugar no qual Magda Goebbels, a esposa do ministro da Propaganda, Joseph Goebbels, envenenou os seus seis filhos. Conrad afirmou não ser um “seguidor” do regime nazi e fez as fotografias pelo fascínio por lugares históricos.
bunker, onde Hitler se suicidou com a sua amante Eva Braun, é hoje em dia considerado património arquitectónico nacional. No recinto chegaram a viver 700 pessoas, entre altos dirigentes, funcionários, oficiais da SS (organização policial e de inteligência), e encontra-se próximo do Reichstag, o Parlamento alemão, e da Porta de Brandenburgo.
Fonte: Mundo P

Postagens mais acessadas