sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Maurice Tillet, o Shrek da vida real

Maurice Tillet (23 de outubro de 1903 – 4 de agosto de 1954) foi um wrestler profissional francês conhecido como The French Angel ("O Anjo Francês" em português) que obteve grande sucesso no começo da década de 1940, sendo reconhecido como campeão dos pesos-pesados pela American Wrestling Associationde Boston.


Shrek foi inspirado em Maurice Tillet, nasceu na França em 1903. Ele era um homem muito inteligente, que falava 14 idiomas, além de ser um exímio poeta e ator. Quando chegou à juventude, Maurice começou a desenvolver uma doença rara, chamada acromegalia. Esta doença causa um crescimento exacerbado e incontrolável de partes do corpo. Em pouco tempo, todo o seu corpo se desfigurou de uma maneira muito peculiar.

Na verdade, esta “transformação” afetou profundamente os aspectos psicológicos da personalidade de Tillet, que sofreu os horrores de começar a se transformar de uma maneira grotesca, apesar de por dentro continuar sendo um cavalheiro super inteligente. Sua forma gerava tanto preconceito que Tillet começou a ser expulso dos lugares que freqüentava e onde antes era bem recebido. Não podendo lutar contra a doença, Maurice começou a adaptar-se a ela, adquirindo um rol de comportamentos mais adequados a sua grotesca aparência.


Tillet tirou proveito de seu trabalho pregresso como ator. Ele emigrou para os EUA e tornou-se um profissional da Luta livre onde adotou o nome (e comportamento teatral) do “Assustador ogro do ringue”, cuja persona (chamada “o anjo francês do ringue”) adquiriu fama imediata com as platéias.


No ano de 1954, Tillet morreu do coração, aos 51 anos. Um de seus poucos amigos, Bobby Managain, um antigo campeão da luta livre, estava no leito de morte com seu amigo no dia em que ele se foi. Antes que Tillet morresse, Bobby pediu a Tillet se poderia fazer um lifecast ( uma máscara mortuária, uma prática comum até o século XIX e que com o tempo saiu de moda, mantendo-se hoje apenas no campo dos efeitos especiais), Tillet concordou e assim, quando ele morreu, Bobby fez três cópias da cabeça de Tillet em gesso. Uma delas acabou indo parar no Museu Barbell de York.
Uma das máscaras restantes ficou no escritório de Patrick Kelly (seu amigo) e
a última foi doada por ele para o Museu Internacional da Luta Livre, em Iowa. Posteriormente, uma das máscaras foi duplicada e foi parar no Museu Internacional da Ciência Cirúrgica em Chicago. Uma outra réplica da máscara mortuária de Maurice Tillet foi parar no Hall of Fame do York Barbell Building. A réplica de Tillet serviu para mostrar os primórdios das formas da luta livre moderna e do halterofilismo. Foi esta réplica que serviu de modelo para a construção de Shrek. O corpo de Shrek, bem como sua cabeça, foi criado tomando como referência as formas de Tillet.








Fonte: Pavablog.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Obras em Paranapiacaba começam no primeiro semestre do ano que vem

O Trabalho da equipe do Reconstruindo o Passado junto com outros instituições não foi em vão!
As obras na vila ferroviária de Paranapiacaba, em Santo André, beneficiada na terça-feira por verba de R$ 42,42 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Cidades Históricas, começam no primeiro semestre do ano que vem. Quem garante é o secretário de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense, Ricardo Di Giorgio, que afirmou que as licitações, divididas por intervenções, serão lançadas no início de 2014.
 Conforme Di Giorgio, a partir de agora a Prefeitura terá 180 dias para apresentar os projetos executivos ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). “Esse é o prazo máximo, mas pretendemos concluir tudo antes disso. Não queremos perder a possibilidade de ser uma das cidades turísticas durante a Copa do Mundo de 2014.”
O recurso federal possibilitará a restauração da garagem das locomotivas, oficinas de manutenção e almoxarifado da antiga São Paulo Railway Company, da sede da Associação Recreativa Lyra da Serra (Cine Lyra), do campo de futebol, da Casa do Engenheiro e a reconstrução de imóvel incendiado na região do Hospital Velho.
O recurso também será investido no restauro de 242 imóveis da Vila Martin Smith, dos 330 para os quais a Prefeitura pediu recursos. “O governo federal priorizou as casas de madeira, cuja técnica de restauro é mais apurada e exige mais verba. Para as de alvenaria, vamos entrar em contato com os moradores para pensar em esquema de mutirão”, explica o secretário.
Além dos imóveis de alvenaria, ficaram de fora do pacote de verbas federais as intervenções de saneamento, que incluem a recuperação e adaptação das estruturas de drenagem e esgoto e o calçamento de área de 15 mil metros quadrados da Rua Schonoor, com faixa de acessibilidade.
Di Giorgio afirma que isso já era esperado pela Prefeitura. “Como não se trata de patrimônio, essa parte não foi contemplada. Por isso, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) incluiu Paranapiacaba nos recursos que solicitou à União dentro do PAC Saneamento. Estamos aguardando resposta.” 
Fonte: Diario do grande ABC

Violino de maestro do Titanic será exibido antes de leilão

O violino utilizado pelo maestro da orquestra do Titanic no momento em que o navio afundava será exibido em Belfast antes de seu leilão, anunciou nesta segunda-feira um museu da capital da Irlanda do Norte. O instrumento pertencente a Wallace Hartley foi encontrado junto a seu corpo. Mais de 1.500 pessoas morreram no naufrágio em 1912.

Acreditava-se que o violino, que tem uma inscrição de sua noiva, havia sido perdido, mas foi encontrado no sótão de uma casa no Noroeste da Inglaterra em 2006. O instrumento poderá ser visto a partir de 18 de setembro e até 13 de outubro no museu Belfast dedicado ao naufrágio, antes de seu leilão em Wiltshire, Sudoeste da Inglaterra, em 19 de outubro.



Violino de maestro do Titanic será exibido antes de leilão
Crédito: AFP / CP
“Estamos honrados e animados que (o museu) Titanic Belfast foi escolhido para exibir o violino que Wallace Hartley tocou no 'RMS Titanic'”, declarou o diretor do museu, Tim Husbands. “Poderá ser uma oportunidade única de ver um dos objetos mais famosos e valiosos do 'Titanic'”, disse.

A orquestra do navio interpretou a música gospel “Nearer, My God, To Thee” (“Mais perto, meu Deus, de ti”) para acalmar os passageiros enquanto subiam em botes salva-vidas após a colisão do navio com um iceberg. 

Hartley e seus sete companheiros morreram. Sua noiva Maria Robinson havia dado o violino de presente ao músico em 1910, com a seguinte inscrição gravada em uma placa de prata: “Para Wallace, por ocasião de nosso noivado. De Maria”.

Acredita-se que o instrumento foi guardado na maleta de couro encontrada junto ao corpo de Hartley, 10 dias após o acidente. O instrumento foi devolvido a Robinson, que nunca se casou. Após sua morte em 1939, sua irmã o doou para a banda do Exército de Salvação. Ele passou ainda pelas mãos de um professor de música até acabar na casa onde foi descoberto em Lancashire.

Após sete anos de análises, os especialistas anunciaram em março que o violino era o que Hartley utilizou no "Titanic". Além do violino, a maleta de couro com as iniciais W.H.H. também será exibida.


Fonte:correiodopovo.com.br

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Morre aos 96 anos última testemunha do suicídio de Hitler e Eva Braun

Rochus Misch, guarda-costas e telefonista de Hitler, morreu na quinta (5). Após a morte de Hitler, Misch foi capturado por tropas soviéticas e preso.


Rochus Misch, guarda-costas, mensageiro e telefonista do ditador nazista Adolf Hitler, morreu aos 96 anos em Berlim na quinta-feira (5). Ele era a última pessoa que foi testemunha do suicídio do ditador e de sua esposa, Eva Braun, em seu bunker da capital alemã.
Rochus Misch em foto de arquivo de 2005 (Foto: Herbert Knosowski/ Arquivo/ AP)
Os meios de comunicação alemães fizeram uma ampla cobertura em torno da notícia do falecimento de Misch, que aconteceu ontem após o escudeiro de Hitler lutar por anos contra uma doença.
Nos últimos tempos, a comunicação com Misch, membro do pessoal destinado a serviço de Hitler na década de 1940, lembrava já com falhas a cena que viveu em 30 de abril de 1945.Nos últimos tempos, a comunicação com Misch era difícil por conta de sua idade avançada, mas em 2009 ainda concedeu uma entrevista à revista alemã "P.M History", na qual ratificava sua fidelidade ao "Fürher" como soldado, embora condenasse os 'terríveis e cruéis' crimes contra a humanidade do nazismo.
Hitler "estava com a cabeça sobre a mesa, enquanto Eva estava com a cabeça inclinada. Já não me lembro bem, estava sentado no sofá ou em uma poltrona ao lado? Mas sigo vendo Eva, com os joelhos encolhidos até o peito", dizia.
Dias antes, em 22 de abril, o ditador nazista tinha anunciado ao seu pessoal que a guerra estava perdida, comunicou sua decisão de permanecer em Berlim e deu permissão para que abandonassem o edifício, mas Misch ficou até o final.
"Permaneci como fiel servidor de meu chefe no bunker", lembrava Misch, que não deixou o local até Josef Goebbels, o ministro de Propaganda nazista, dizer em 2 de maio que já não precisava mais dele e que podia partir.
Sargento da unidade especial das SS do "Führer", Misch não era capaz de recriminar Hitler por seus crimes - "superaria meu cumprimento do dever como soldado" - e assegurava que nunca se falou da existência de campos de concentração em seu círculo íntimo.
Tempos depois, ficou sabendo sobre a existência desses campos. "Agora estou bem informado - disse em 2009. Está claro que aconteceram coisas horríveis. Não há desculpa possível, houve campos de concentração. Isso não é possível negar".
Após a morte de Hitler, Misch foi capturado pelas tropas soviéticas e passou nove anos em uma prisão russa, até que retornou para Berlim em 1953. No setor oeste da capital alemã, Misch trabalhou em uma loja de pintura até sua aposentadoria.
Fonte: globo.com

Postagens mais acessadas