quinta-feira, 31 de março de 2016

Encontrada maleta antiga com crânios de criatura desconhecida

No Cáucaso russo foram encontrados dentro de uma maleta dois crânios que não correspondem a nenhuma criatura conhecida pela ciência.

O material foi achado no final do ano passado em uma maleta com o símbolo da "Ahnenerbe", considerada a sociedade ocultista mais secreta dentro do nazismo.

Os pesquisadores dessa seita, formada por membros das SS nazistas, interessaram-se especialmente pelos misteriosos dólmens (espécies de túmulos) e pelas causas do nível elevado de radioatividade natural na região do cânion de Kishinski. 


Ahnenerbe é a sigla para um nome que, traduzido, significa “Sociedade para a Investigação e Ensino sobre a Herança Ancestral Alemã. A organização ficou ativa entre 1939 e 1945, dedicando-se exclusivamente ao estudo das tradições, história e patrimônio da, por eles chamada, raça ariana. 

A sociedade era formada por mais de 350 especialistas de destaque, com carreiras brilhantes na ciência e em outras faculdades acadêmicas. Em suas pesquisas do oculto e desconhecido, a Ahnenerbe realizou várias expedições em todo o mundo, que incluíram destinos com o Tibete, a Antártida e o Cáucaso. 

Agora, os jornais russos destacam a descoberta de uma maleta com o símbolo da Ahnenerbe. Conservada em perfeito estado, ela abrigava em seu interior dois crânios pequenos que, até o momento, os cientistas não conseguiram associar a nenhum animal conhecido. 


A maleta teria sido encontrada nas montanhas de Adiguésia, ao lado de construções megalíticas da região, até onde os membros da Ahnenerbe se deslocaram, em 1941, para investigar os antigos dólmens, nos quais estariam enterrados restos de uma raça desconhecida. 

A República de Adiguésia é um dos centros de cultura megalítica mais importantes do mundo, desenvolvida entre os séculos IV e I a.C. Também conhecidos como túmulos do portal, os dólmens do Cáucaso se estendem ao longo do litoral do Mar Negro, na região de Krasnodar e da Adiguésia. Em algumas das sepulturas, foram encontrados esqueletos humanos de três metros de altura.

Fonte: rbth.com
Imagens: Vladimir Ansonov-RG

terça-feira, 29 de março de 2016

Encontradas duas salas secretas na tumba de Tutancâmon

Duas salas secretas foram encontradas na famosa tumba de Tutancâmon, jovem faraó no Vale dos Reis, em Lúxor, no Egito.

A incrível descoberta foi anunciada pelo ministro das Antiguidades do Egito, "Mamdouh Eldamaty" no último dia 17. As câmaras secretas estavam escondidas por pinturas, atrás das paredes norte e leste da tumba. O achado ocorreu por meio de uma análise com raios infravermelhos realizada no fim de novembro, no túmulo de Tutancâmon. Os cientistas ainda não tiveram acesso às câmaras. 
Para adicionar um ingrediente ainda mais interessante ao achado, um mapeamento feito pelo especialista em radares Hirokatsu Watanabu destacou a presença de metal e material orgânico nas salas. Por trás da parede norte foi detectada uma cavidade de até 1,5m de diâmetro e 2m de profundidade. 


A descoberta confirma, em parte, a teoria do egiptólogo britânico Nicholas Reeves. De acordo com ele, uma dessas câmaras poderia levar ao túmulo secreto da rainha "Nefertiti"

Ela reinou de 1370 a 1330 a.C. e foi a esposa principal do faraó "Aquenáton". Eles ficaram conhecidos por promoverem uma revolução religiosa pela adoração de apenas um deus, Áton. O casal também conduziram o reino em seu período mais próspero.


Mesmo de depois de 94 anos após a descoberta da tumba, ela ainda nos trás muitos mistérios.
Fonte: El País 

segunda-feira, 28 de março de 2016

Bactéria pode acabar com os restos do Titanic

Há exatamente cem anos após o naufrágio do Titanic, a pesquisadora "Henrietta Mann" anunciou que em até 30 anos, é provável que não exista mais nenhum resquício do Titanic no fundo do mar.

Durante quatro anos, Mann, a bióloga e geóloga da Universidade Dalhousie, em Halifax, Canadá, analisou as bactérias que estão roendo o casco no navio afundado. Então, ela conseguiu amostras do Instituto de Oceanografia de Bedford e as examinou em um microscópio eletrônico. Com isso, Mann encontrou bactérias por trás das formações particulares de águas profundas.
A descoberta vai contra a ideia de que a ferrugem encontrada no navio fazia parte de um processo químico de oxidação, conclusão feita por uma expedição científica ao Titanic em 1991. Na época, os pesquisadores acharam a formação de uma ferrugem parecida com estalactites, penduradas para fora do Titanic.
Entre as bactérias encontradas por Mann e Bhavleen Kaur, da Universidade de Sevilha, foram identificadas 27, inclusive uma nunca encontrada antes, a "Halomonas titanicae". Ela tem triturado o casco de aço e o transformado nessa ferrugem parecida com estalactite.
O Titanic tem cerca de 50 mil toneladas de aço. Essa abundância de alimento para as bactérias invisíveis a olho nu faz com que elas se multipliquem com muita velocidade ao longo dos anos. Por isso, o navio encontrado hoje está bem diferente do visto em 1991. Mann acredita que em um período de 20 a 30 anos, o Titanic vai desaparecer.
Segundo o estudo de Mann, a desintegração do Titanic representa uma perda. Porém, a descoberta oferece uma esperança aos navios e plataformas que naufragam. As bactérias são capazes de fazer tudo voltar ao que era antes.


Fonte: http://www.jornalfloripa.com.br/

quinta-feira, 24 de março de 2016

Como as pessoas de século XIX imaginavam os tempos de hoje? Confira!

O chamado “En L’An 2000 foi uma série de imagens francesas criada por Jean-Marc Côté e outros artistas que tentaram imaginar como seria a vida no ano de 2000.
As imagens futuristas foram criadas em 1899, 1900, 1901 e 1910, originalmente na forma de cartões de papel e caixas de cigarro/charuto e, mais tarde, como postais.





















quarta-feira, 23 de março de 2016

A Bíblia de R$ 73 milhões em que Jesus teria previsto a vinda de Maomé

A Bíblia secreta em que Jesus teria previsto a vinda do profeta Maomé para a Terra está despertando sério interesse do Vaticano.

Especula-se que o suposto livro de 1.500 anos de idade seria o Evangelho de Barnabé. A obra teria sido escondida pelo governo turco nos últimos 12 anos. Com letras manuscritas em ouro e escrita em aramaico, o livro é avaliado em 14 milhões de libras esterlinas (R$ 73 milhões). 


Somente uma fotocópia de uma única página do manuscrito é estimada em 1,5 milhão de libras (R$ 7,8 milhões). O ministro de Cultura e Turismo da Turquia, Ertugrul Gunay, disse que o livro poderia ser uma versão autêntica do Evangelho, que foi censurada pela Igreja Cristã por seus fortes paralelos com a visão islâmica de Jesus. Ele também disse que o Vaticano fez um pedido oficial para ver a escritura. 

De acordo com a crença islâmica, o Evangelho trata Jesus como um ser humano e não um Deus. Ela também rejeita as ideias da Santíssima Trindade e da Crucificação e revela que Jesus predisse a vinda do Profeta Maomé. Em uma versão do Evangelho, acredita-se que Jesus teria dito a um sacerdote: "Como o Messias deve ser chamado? Maomé é o seu nome abençoado". 

E em outro, Jesus negou ser o Messias, alegando que ele ou ela seria ismaelita, o termo usado para um árabe. 

Apesar do interesse no livro recém redescoberto, alguns acreditam que o livro é uma farsa e remonta ao século 16. Apenas uma verificação científica poderá verificar com certeza qual a idade da obra e acabar com as dúvidas.


Fonte: DailyMail

terça-feira, 22 de março de 2016

Garota-fantasma é vista em diferentes cartões-postais na Rússia

Durante anos a imagem de uma garota esteve presente em fotos antigas, cartões-postais e até pôsteres da cidade russa de Krasnoyarsk sem que ninguém se desse conta.

A menina, que aparenta entre 8 a 10 anos, aparece em, aproximadamente 20 fotos de paisagens da cidade. Em algumas, ela está bem evidente, de forma inusitada, sobre o telhado da ponte da ferrovia transiberiana de Krasnoyarsk, sobre o rio Yenisei. Essa ponte foi inaugurada em 1899 e especula-se que a foto foi batida, no máximo, 10 anos depois.

Em outra imagem, a garota posa próximo de vários garotos, perto do seminário de Krasnoyarsk. Ela veste um chapéu estiloso e roupas típicas de famílias ricas.
Em outras fotos, a menina posa de maneira muito discreta, quase imperceptível. Sua presença constante em várias fotos conhecidas da cidade só foi notada depois que várias imagens foram reunidas por diferentes fontes. 



Com o uso de equipamentos especiais, foi possível perceber que ela usa roupas parecidas, porém são vestimentas diferentes nas fotos. Então, provavelmente, as imagens foram feitas em dias ou períodos distintos. Seus rosto fechado e sua pose, no entanto, são sempre as mesmas. 

Nada se sabe sobre a identidade da menina ou sobre o fotógrafo. Algumas fotos, porém, possuem as letras F.E.A impressas. 

As imagens misteriosas são mantidas no Krasnoyarsk Regional Museum of Local Lore. Com o surgimento da chamada "garota fantasma" teve início uma campanha de divulgação da história para se coletar qualquer informação sobre a menina ou sobre o autor das curiosas e famosas imagens da cidade, que agora ganharam um novo e enigmático significado para os seus habitantes. Veja abaixo as fotos:









Fonte: The Siberian Times

quarta-feira, 16 de março de 2016

Hieróglifos egípcios são encontrados na Austrália

Costuma-se acreditar que as habilidades náuticas da antiga civilização egípcia se limitavam à navegação do rio Nilo e ao comércio com aldeias vizinhas. Será?




Descobertas recentes indicam que suas expedições foram muito mais ousadas do que se imaginava. No Parque Nacional do Vale do Caçador, localizado no norte da cidade australiana de Sydney, foi encontrada a prova de que os egípcios podem ter chegado à Oceania há mais de 2.500 anos.

Em 1900, foram achados, na Austrália, 250 hieróglifos egípcios, mas a descoberta permaneceu oculta até meados do século passado, e as escritas não foram decodificadas até 2012. Os hieróglifos relatam as peripécias de um nobre egípcio, Djes-Djes-Eb, que naufragou no distante litoral australiano. As informações permitem datar as inscrições à época da IV Dinastia do Antigo Império.  

O pesquisador Mohamed Ibrahim, codiretor do Instituto Yousef Abd’el Hakim Awyan e especialista em hieróglifos, confia na veracidade da descoberta e afirma que, nas inscrições, é possível observar expressões linguísticas e gramaticais que não foram desvendadas até 2012. Também foram encontrados na região amuletos, estátuas, escaravelhos sagrados e uma pedra onde está representado o símbolo egípcio de Áton.



Fonte: Super Curioso.
Imagem: leoks/Shutterstock.com

Postagens mais acessadas