sexta-feira, 11 de maio de 2018

Desvendado o grande mistério sobre as câmaras secretas na tumba de Tutancâmon

Mistério resolvido.
Os trabalhos para descobrir o que havia dentro das câmaras ocultas supostamente encontradas na tumba do faraó Tutancâmon terminaram — e o resultado causou perplexidade.
A conclusão? As câmaras nunca existiram.
Antes da investigação mais recente, as autoridades egípcias chegaram a afirmar que tinham "90% de certeza" de que existiam espaços desconhecidos no túmulo do Faraó, visitado por centenas de milhares de pessoas desde que foi descoberto pelo britânico Howard Carter em 1922.
Tumba de Tutancâmon: possibilidade de que túmulo guardasse ainda mais segredos foi levantada pelo arqueólogo britânico Nicholas Reeves, em 2015
Uma das teorias apontava, inclusive, que o túmulo da rainha Nefertiti — que alguns especialistas consideram a mãe de Tutancâmon — poderia estar escondido no local.
No entanto, novas pesquisas concluíram que essas cavidades ocultas simplesmente não existem.
Nefertiti?
A possibilidade de que o túmulo de Tutancâmon tivesse mais segredos do que os já descobertos começou a ser levantada pelo trabalho do arqueólogo britânico Nicholas Reeves.
Ao examinar imagens digitalizadas e em alta resolução da câmara sepulcral da tumba, Reeves descobriu fissuras e rachaduras artificiais nas paredes que, em sua opinião sugeríam a existência de duas portas escondidas que levariam a cavidades ocultas.
Em um relatório de 2015 intitulado O enterro de Nefertiti?, o renomado arqueólogo argumentou que todo o local teria sido projetado para Nefertiti e depois adaptado para Tutancâmon, por isso, os restos mortais da rainha estariam na parede do lado oposto ao sarcófago do jovem faraó.
Os restos de Nefertiti nunca foram encontrados e têm sido objeto de grande especulação.
Uma escultura de 3 mil anos de idade da rainha, imagem que hoje pode ser vista em Berlim, fez dela a mulher mais representativa do Egito Antigo.

Busto de Nefertiti, exposto em Berlim: havia a expectativa de que restos mortais da rainha estivessem escondidos na tumba de Tutancâmon
Especialistas acreditam que Nefertiti governou o Egito no período entre a morte de seu marido e a ascensão de Tutancâmon - que foi faraó entre 1.332 e 1.323 a.C., aproximadamente.
Após a publicação do documento de Reeves, uma série de pesquisas foi realizada apoiando sua teoria das câmaras secretas.

Decepção

Os resultados da nova investigação encomendada para esclarecer o caso foram divulgados neste domingo.
Uma equipe de especialistas da Universidade Politécnica de Turim, liderada pelo doutor Francesco Porcelli, usou um radar de grande precisão para explorar a rocha e concluiu que atrás da parede da tumba não há nada, detalhou o Ministério de Antiguidades do Egito em um comunicado.
O arqueólogo britânico Nicholas Reeves viu fissuras e rachaduras artificiais nas paredes da tumba como indícios de possíveis câmaras secretas
"Talvez seja um pouco decepcionante não haver nada atrás das paredes da tumba de Tutancâmon, mas, por outro lado, isso mostra uma boa pesquisa científica", disse Porcelli.
Também não há indícios da existência de paredes de uma câmara funerária, como colunas ou vigas de portas, por trás dos afrescos que adornam a tumba.
Porcelli explicou que analisou três diferentes levantamentos de dados e comparou os resultados para eliminar as distorções que afetaram buscas anteriores.
O ministro de Antiguidades do Egito, Khaled al-Anani, aceitou os resultados e considerou o mistério resolvido.
E o sonho de encontrar Nefertiti ainda continua.
Fonte: http://www.bbc.com

Nenhum comentário:

Postagens mais acessadas