terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Carlos Villagrán deixará de interpretar Quico, diz filho do ator

Ángel Villagrán afirma a agência Notimex que vai parar de interpretar o personagem de 'Chaves'; 'Está feliz com essa oportunidade que chegou', diz.


O ator mexicano Carlos Villagrán deixará de interpretar seu personagem mais famoso, Quico, com o qual trabalhava em sua carreira solo desde que deixou "Chaves", em 1978. A notícia foi divulgada pelo filho do comediante, Ángel Villagrán, em entrevista publicada pela agência de notícias mexicana Notimex neste domingo (15).

Carlos Villagrán interpreta Quico em carreira solo desde que deixou 'Chaves', em 1978 (Foto: Vanessa Carvalho/ AFP Arquivo)
Segundo Ángel, Carlos viajou pela América Latina nos últimos três anos em uma turnê de despedida ao personagem, e a partir de 2017 se concentrará em sua carreira de ator. Ele até participará do filme brasileiro "Como se tornar o pior aluno da escola", de Danilo Gentili.
"Está feliz com essa nova oportunidade que chegou", disse Ángel. "Meu pai aproveita essa nova etapa, mesmo que eu deva reconhecer que não foi fácil para ele dizer adeus ao personagem que interpretou por tantos anos e ao qual agradece a oportunidade de desfrutar do carinho do público."
Ele explica que é o momento certo para o pai deixar o jovem Quico, já que, aos 73 anos de idade, não conseguia mais passar credibilidade como um menino para as crianças. "Os pequenos estranhavam ao vê-lo, porque se lembram dele mais jovem como nos programas."

Fonte: G1

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Depois de 70 anos de sua proibição, Mein Kampf é o livro mais vendido na Alemanha

O livro consiste nos textos originais de Hitler, acompanhados de comentários de críticas que contextualizam sua ideologia.



O Instituto de História Contemporânea de Munique informou que em um ano de vendas do livro “Mein Kampf“, de Adolf Hitler, ele vendeu nada menos que 85 mil cópias na Alemanha. Isso tudo 70 anos depois da proibição da obra. O livro consiste nos textos originais de Hitler, acompanhados de comentários de críticas que contextualizam sua ideologia.

A nova edição do livro começou a ser vendida na Alemanha em janeiro de 2016, logo depois de tornar-se livre dos direitos autorais. O livro havia sido proibido por mais de 40 anos, por conta do medo das autoridades de que a obra se tornasse material de culto para os neonazistas.



Mas depois de livrar-se dos direitos autorais, o livro foi reeditado em uma versão mais científica, com comentários e críticas. Assim, renovada, a obra tem como objetivo ser uma ferramenta para a compreensão dos pensamentos de Adolf Hitler.
O livro lidera a lista semanal da revista Der Spiegel, na categoria de “não-ficção“, como o livro mais vendido do gênero. O Instituto de História Contemporânea de Munique afirma que muitas universidades e outras instituições se interessam em discutir a obra com seus alunos e membros.

Fonte: http://misteriosdomundo.org/ Imagens: Getty Images

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Plutão pode abrigar um oceano habitável?

Pesquisadores acreditam que Plutão é o lar de um  oceano de água líquida e, consequentemente, reúne algumas condições que tornam possíveis a existência da vida por lá.


A revista científica Nature acaba de publicar imagens de Plutão obtidas pela sonda New Horizons, da NASA. Nelas, é possível ver os vulcões de gelo que cobrem a superfície do planeta anão.
O artigo afirma que “há bilhões de anos, Plutão entrou em choque com um cometa de 200 quilômetros de diâmetro, 20 vezes maior que o asteroide que exterminou os dinossauros na Terra. O impacto formou uma cratera enorme que foi preenchendo de gelo sua superfície”. 

Francis Nimmo, cientista da Universidade da Califórnia, nos EUA, explica: “a forma mais óbvia pela qual Plutão poderia sair de sua órbita é se houvesse uma grande quantidade de água debaixo do gelona depressão conhecida como Sputnik Planitia”

Os responsáveis pela descoberta acreditam que o oceano de Plutão é composto, principalmente, por água, mas é provável também que contenha amônia, um anticongelante. Se esses dados forem confirmados, é possível que consideremos a existência de vida nesse pequeno planeta.

Fontes: Telesur, NASA 
Imagem: NASA

Postagens mais acessadas