segunda-feira, 24 de abril de 2017

Nave que desapareceu em 2009 é encontrada na Lua

Cientistas da NASA também encontraram módulo de reconhecimento lunar que estava perdido há sete anos. 

A NASA acaba de localizar na órbita da Lua uma pequena nave espacial indiana perdida desde 2009, a Chandrayaan-1. A descoberta só foi possível graças à utilização de um novo radar, chamado interplanetário. Criado por cientistas do Jet Propulsion Laboratory (JPL), de Pasadena, na Califórnia, o equipamento também possibilitou que fosse determinada a localização do Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), um artefato da NASA que orbita o satélite há sete anos.


Marina Brozovic, uma das responsáveis pelo avanço tecnológico que possibilitou essas descobertas, explica: “Encontrar o LRO foi relativamente fácil, já que trabalhamos com os navegantes da missão e possuímos dados precisos da órbita em que ele estava. Encontrar a Chandrayaan-1 requereu um pouco mais de trabalho de pesquisa, pois o último contato com a nave espacial foi em agosto de 2009”. 

A nave Chandrayaan-1 possui o tamanho de um automóvel pequeno, por isso, sua localização indica que o novo radar, que funciona como um feixe de micro-ondas, pode ser muito útil na descoberta de detritos espaciais e veículos perdidos a longas distâncias. 

Fonte: ABC 
Imagem: NASA

Nova pirâmidade, com 3.700 anos de idade, é encontrada no Egito

Arqueólogos acreditam que o monumento foi erguido durante a 13a dinastia faraônica! 


O Ministério de Antiguidades do Egito anunciou a descoberta dos restos de uma pirâmide datada de 3.700 anos na necrópole real de Dashur, no sul do Cairo. As escavações revelaram um corredor interior e um bloco de pedra talhado com hieróglifos. 

De acordo com fotos divulgadas pelas autoridades, a construção – a qual acredita-se que tenha sido erguida durante a 13ª dinastia faraônica – mantém um bom estado de conservação. “Todas as partes descobertas das pirâmides estão em condições muito boas, e ocorrerão mais escavações para revelar mais partes”, afirmou um porta-voz do Ministério.

Até hoje, já foram encontradas 123 pirâmides antigas no Egito. Segundo os responsáveis pela descoberta, essa pirâmide poderá ter pertencido a uma rainha, enterrada próxima ao seu marido ou filho. Enquanto isso, os trabalhos de pesquisa e de escavação continuam. 


Fonte: BBC
Imagem: Ministério de Antiguidades do Egito

quinta-feira, 23 de março de 2017

Cientistas descobrem como a civilização mais antiga do mundo sobreviveu à mudança climática

Escavações revelam um sistema de agricultura avançado, pronto para qualquer cenário climático!

A civilização do Vale do Indo é considerada uma das mais antigas conhecidas, remontando a 6 mil anos antes de Cristo, na fronteira entre os atuais Paquistão e Índia. Essa cultura conseguiu sobreviver por milênios em condições climáticas extremamente instáveis, adaptando-se inclusive a longos períodos de seca. 



O arqueólogo Cameron Petri, do Departamento de Arqueologia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, propôs investigar como essa antiga civilização sobreviveu. Para isso, uma equipe de pesquisadores realizou escavações nas margens do lago seco Kotla Dahar, onde ficava Rakhigarhi, uma das cidades mais importantes. 

Suas descobertas revelaram os restos de um sistema de agricultura inovador, baseado na utilização simultânea de vários tipos de cereais e verduras. Todas as comunidades estavam localizadas em zonas climáticas onde as temporadas de chuvas no verão e no inverno se complementavam, de modo que uma colheita ruim de inverno poderia ser compensada por uma boa colheita de verão e vice-versa. 

Essa técnica garantiu a sobrevivência dessa antiga civilização pelo menos até 2.200 a.C., quando as monções diminuíram drasticamente e as chuvas foram reduzidas até praticamente desaparecerem por quase 300 anos, provocando o fim das cidades próximas às margens do Kotla Dahar.

Imagem: KennyOMG - Wikipedia Commons / CC BY-SA 3.0

Postagens mais acessadas